albert-camus

Única seleção da África árabe a se classificar para a Copa 2014, a Argélia chega com um breve, mas interessante histórico em Mundiais. Além de ter somado pelo menos um ponto em todas as suas três participações, a estreia, em 1982, foi logo uma vitória por 2×1 diante da Alemanha Ocidental. Não bastasse a proeza, viriam a derrotar o Chile, por 3×2, mas ficariam eliminados pelo saldo de gols (perderam de 0x2 da Áustria).

O caminho para o Brasil não foi dos mais difíceis, se consideramos a tradição como medida. Passaram por Mali, Benin e Ruanda, na fase de grupo, e encontraram Burkina Faso, no mata-mata. Em Ouagadougou, perderam (3×2 – o time da casa desperdiçou um pênalti quando a coisa ia 0x0), e conseguiram recuperar a diferença mínima, fazendo 1×0, em casa, gol de Bougherra.

Se não mudarem algumas coisas, como a falta de compactação da equipe, será difícil encarar um time de toques curtos e velozes, como a Bélgica, embora a “tática do chutão” possa ser eficiente contra uma Coreia do Sul. Também não sei se há outra opção para substituir o goleiro Adi Mbolhi.

 

É ele!

slimani

Há algum tempo o Sporting Lisboa não disputava um campeonato com tanta veemência e ilusão. Até poucas rodadas do fim, mantiveram o sonho de superar o Benfica. Além disso, relegaram o Porto a um terceiro lugar e se garantiram, nada mais nada menos, que na Liga dos Campeões – imaginem um Sporting x Barcelona, no Alvalade! Islam Slimani não é propriamente o responsável direto desta boa época dos Leões, porém, lá está, com presença e alguns gols. Não deixa de ser uma forma de ter estrela.

Anúncios