1860Um trecho do hino do Atlético-MG chama atenção: “Nós somos os campeões do gelo”. De onde viria essa tão estranha referência? Haveria o clube mineiro disputado torneios de patinação? Seria um delírio, um nonsense do letrista?

Segundo a tradição, esse trecho, do hino composto em 1969, por Vicente Motta, vangloria a exitosa série de amistosos que o Galo fez na Europa, em 1950. E se há um dado que elenca este nem tão pequeno feito – se considerarmos as pretensões da época – à História do futebol mundial é justamente um dos rivais de então: TSV 1860 München. A tradicional equipe alemã, hoje em dia militando na segunda divisão, e outrora um rival mais potente do Bayern München, com quem o Atlético pode se enfrentar no Mundial de Clubes, no fim do ano. Isso seria uma graça, nada mais, se não fosse justamente o Bayern, agora dirigido pelo badalado Pep Guardiola – como estará ele diante do Cuca? -, a ter sido o algoz do Cruzeiro, em 1976, quando a Copa Intercontinental era disputada em duas partidas.

O primeiro jogo, em Munique, praticamente decreta o futuro daquela decisão: 2×0 para os alemães, gols de Kapellmann e de ninguém menos que Gerd Müller, a “Bomba da Nação”, artilheiro da Copa de 70 e campeão mundial de seleções, em 74. Imagens daquela partida são possíveis de serem encontradas, por exemplo, no youtube, e o gramado coberto de branco indica uma das dificuldades daquele 23 de novembro, no Estádio Olímpico – em 2005, deixaria de ser a casa do futebol de Munique, quando tanto Bayern como 1860 passariam a jogar na Alianz Arena. A partida de volta, no recém falecido Mineirão, terminaria 0x0.

Foram mais de trinta anos, até o que o Galo pudesse conquistar uma Libertadores e entrar no mesmo hall do seu rival citadino – que, entrementes, já possui também a de 1997 – cabe: perdeu a Intercontinental, em jogo único, no Japão, para o Borussia Dortmund. A final, em 2013, será no Marrocos, no (quase) mesmo 21 de dezembro, data do acima referido 0x0, em Belo Horozinte. E, obviamente, as apostas e as previsões colocam Atlético-MG x Bayern München.

Se no mesmo hino ainda lemos que “Jogamos com muita raça e amor” e “Honramos o nome de Minas/ No cenário esportivo mundial”, não são poucas as chances de que os alemães entendam o que seja um “Galo forte vingador”.

Anúncios