No que se refere ao futebol, chegamos a uma época centenária. Ou, pelo menos, num arco centenário, que se inicia em 1994, por conta do retorno de Charles Miller ao Brasil, trazendo “o futebol na bagagem”, e poderia ter fim em 2014, com os cem anos da Sociedade Esportiva Palmeiras. No entanto, dois outros grandes – Cruzeiro e São Paulo – reivindicariam seus direitos, estendo as celebrações até 2021 e 2030, respectivamente.

Nesta corrente, também os clássicos se rememoram, como foi o caso, recentemente, do Flamengo x Fluminense. Segundo a documentação oficial, a primeira partida ocorrera a 7 de julho de 1912, com vitória tricolor.Foi também o Fluminense a vencer, a 8 de julho de 2012, uma partida pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, conquistando, assim, três pontos a mais na tabela.

Qualquer historiador do futebol poderia fazer um levantamento, sem muita dificuldade, sobre, por exemplo, os 100 maiores FlaxFlus. Algum debate poderia incluir ou excluir um ou outro jogo, principalmente se o tal historiador fosse rubronegro ou tricolor. Seria o caso, até, de incumbir a tarefa a um historiador coxabranca ou timbu.

Interessaria, porém, uma recolha que incluísse relatos de cem torcedores de cada time. A maior dificuldade seria contactar os mortos, para que não deixássemos de fora os confrontos mais antigos. De repente, incluiríamos cem partidas de cada torcedor, cruzando os números e considerando as mais citadas.

Eu lutaria, provavelmente sem receber resistência, pela inclusão da final do Campeonato Carioca de 95, famoso pelo gol de barriga de Renato Gaúcho. Já o meu primeiro jogo em estádios, o Fluminense 1×0 Flamengo, gol de Donizeti, em 1990, teria poucas chances de ser lembrado, a não ser que eu encontrasse alguém que tivesse debutado comigo naquele dia.

No fim, melhor deixar que o torcedor elabore seu cânone, desde que ele saiba apresentar bons argumentos para a inclusão de cada partida.

Anúncios